5ª EMPOSSAR "O Canto da Poesia" Evento Litero Musical

A SAPECAS (Sociedade dos Poetas, Escritores, Compositores e Artistas de Sertânia) e a Casa do Poeta estarão realizando no próximo dia 23 (sábado de aleluia) às 11 hrs, a 5ª EMPOSSAR, que este ano será uma Homenagem ao centenário do poeta Waldemar Cordeiro.

“ Sua Paixão está Aqui”

  A Paixão do Sertão  este ano completa treze apresentações consecutivas, onde já se tornou roteiro turístico e patrimônio cultural de nossa cidade e de toda região,será apresentada na Quadra da Escola Olavo Bilac,nos dias 20,21 e 22 de abril, às 20:30,apesar de todas as dificuldades ,principalmente financeira ainda estamos tentando pagar  a Paixão do ano passado, temos esperanças concretas de que a FUNDARPE nos ajudará e isso já é um bom começo,esperamos que a população nos apóie,como sempre fez,indo assistir ...

  O Espetáculo tem a função de desenvolver e discutir as questões sociais com pessoas de comunidades de risco,estudantes,jovens,etc.Trabalhamos as diferenças e a importância de termos um espetáculo teatral na cidade, pois temos uma carência enorme de espetáculos cênicos,queremos  fomentar o turismo,gerar empregos diretos e indiretos e mostrar que é fundamental a continuação da Paixão do Sertão, e contamos com o apoio de todos.

 Flávio Magalhães
  Diretor Geral

APRENDA "INGLÉS" COM NOSSO AMIGO TI-TOIN

STJ decide: é proibido investigar rico ! E salva indiciados na Castelo de Areia

BRASÍLIA – O Superior Tribunal de Justiça (STJ) anulou todas as provas obtidas pela Polícia Federal na Operação Castelo de Areia que tenham sido obtidas a partir da quebra de sigilo telefônico dos investigados.


A decisão da 6ª turma do STJ compromete a investigação de um esquema de evasão de divisas, lavagem de dinheiro, crimes financeiros e repasses ilícitos para políticos, envolvendo três executivos da construtora Camargo Corrêa.


Os ministros entenderam que as provas obtidas contra os investigados se basearam única e exclusivamente em uma denúncia anônima. No entendimento de três dos quatro ministros da Turma, o Ministério Público pediu a quebra de sigilo telefônico e depois a interceptação telefônica dos envolvidos. Essa quebra, autorizada pelo juiz Fausto de Sanctis, teria ocorrido de forma genérica e indiscriminada.


Apenas o ministro Og Fernandes julgou que as provas foram obtidas de forma legal e, por isso, a ação penal poderia prosseguir normalmente. No entendimento do ministro, Ministério Público e Polícia Federal apuraram a denúncia anônima e encontraram indícios que então embasaram os pedidos de quebra de sigilo.

Na investigação da Castelo de Areia há mais, muito mais do que uma – uma única denúncia anônima.

Há uma delação premiada, assinada, pelo doleiro que começou a fazer a lavagem de dinheiro dos empresários da Camargo Corrêa.

Nessa delação premiada se soube que o novo doleiro da lavagem era um Kurt.

Veio uma denuncia anônima.

A partir dela, a polícia passou a acompanhar o Kurt.

Kurt ia à Camargo Corrêa e se encontrava com pessoas da Camargo Corrêa.

A Polícia Federal, no âmbito da Operação Castelo de Areia, pede à Justiça, à Vara de Crimes do Colarinho Branco do corajoso e saudoso Dr Fausto De Sanctis (“saudoso”, porque ele foi promovido a julgar o litígio dos velhinhos com o INSS) autorização para grampear o Kurt e aqueles com quem se encontrava.

A Vara de De Sanctis tem o cuidado de fornecer a senha só dos suspeitos.

E não revelou às operadores de telefonia, já que há “n” casos de vazamento de escutas legais a partir de funcionários corruptos das operadoras.

A Polícia pediu e obteve o direito de quebrar o sigilo dos dados pessoais daqueles que investigava.

Kurt desconfiou que estava sendo investigado e passa a só falar por um sistema tipo “Skype”.

Policia pede à Justiça e obtém o direito de fazer escuta ambiental.

Nessa escuta, Kurt confirma tudo o que a Polícia já sabia: tudo o que o delator premiado contou, tudo o que a denúncia anônima denunciou e tudo o que a Polícia investigou antes e depois da denúncia anônima.

Era remessa ilegal da gorda.

Lavagem de bom tamanho.

Agora, sob a liderança do Ministo Asfor Rocha, o primeiro que invocou a esdrúxula tese de que tudo se baseava numa única “denúncia anônima”, o Superior (sic) Tribunal de Justiça (sic) enterra a Castelo de Areia.

Deve ser uma antecipação do funeral que se avizinha da Operação Satiagraha, nas mãos do Ministro Macabu – aquele cujo filho trabalha no escritório do principal advogado de Dantas.

Que conclusão tirar, amigo navegante ?

O problema no Brasil não é mais condenar rico.

Não se trata de condenar ou encarcerar rico.

É antes.

É proibido INVESTIGAR rico.

Nada pode, nada é legal !

Se o suspeito é rico, amigo navegante, tudo o que for feito para investigar se o rico é criminoso será considerado ilegal.

A Lei não foi feita para absolver rico.

Antes: a Lei foi feita para não investigar rico.

A ordem é: IMPUNIDADE para os ricos.

O site da Corregedoria geral da União incentiva o cidadão a denunciar a corrupção anonimamente.

A ocupação do Alemão não teria existido sem a denuncia anônima.

O Supremo, pelas mãos do Ministro Toffoli, já considerou legais as denuncias anônimas com diligências preliminares.

As Convenções Internacionais de combate ao colarinho Branco – e a de Palermo e a Mérida – aceitam a denuncia anônima.

Mas, esse não é o caso da Castelo de Areia, amigo navegante.

ANTES da denúncia anônima houve a delação premiada do doleiro que precedeu o Kurt.

Fica combinado assim.

A Justiça brasileira não se aplica a uma casta.

Só se aplica a outra.

Mais em baixo.

Viva o Brasil !


Paulo Henrique Amorim - Conversa Fiada

NOTÍCIAS DA CIDADE por um cronista politicamente incorreto

01. Inserido na "oitentação" do jornalista e cineasta Celso Marconi de 
       Medeiros Lins, sempre em percurso, o seu genro Dr. Adriano Mendes 
       prepara novas homenagens  para o dia  05  de maio na Livraria Cultura 
       do Recife. Todos convidados para rever os  livros do militante C. M. e 
       conferir o DVD do conjunto de sua obra fílmica. Com  uma exibição de
       surpresa.
02. A galeria ARTE PLURAL criando expectativas em torno da próxima
      exibição de  RINALDO  em maio dia 10.  O pintor-arte-educador,
      atualmente residindo em Brasília, vem trabalhando com o imaginário
      entre o sagrado e o profano. Imagens em  configurações de LUZIA :
      todos os rostos e percepções sem limites.
03. A VISTA, recente CD de Monica Feijó, significa uma panorâmica da
      melhor  expressividade da intérprete-compositora. Esta moça sabe 
      cantar dançando, de fazer inveja e ciúmes a todos e todas. 
      Multiplique-se Monica!
04. O advogado-escritor ANTONIO CAMPOS a um passo para ingressar
      na Academia  Brasileira de Letras. Por aclamação?  Seus leitores e
      amigos em compasso de espera.   Por meritocracia.
05. Impossível resenhar e até mesmo esboçar análises do livro-álbum-
      memorial 18.250 Dias do João Câmara. Autor que demonstra sua
      maestria inventiva da primeira linha ao  núcleo do seu pensamento 
      pensante. Impecável a "translation"  de Richard Boike.
06. Agradecemos a Roberta Jungmann pela divulgação de foto em
       companhia de Lenine, nosso Leão do Norte. RENARCISAR-SE é
       sempre necessário ou não, no clichê  tropilcalista.
07. Que Ana de Hollanda ultrapasse todos os rótulos: do autismo,mdo
      nepotismo, dos grupelhos partidários, das familiaridades, da ocupação
      dominadora dos cargos, dos contrapontos culturais e até dos atentados
      poéticos.
08. Paulo André/ABRIL PRO ROCK admirando-se com a idéia de que
      somente a bossa  eternamente nova de João Gilberto seria capaz de
      reunificar nossos Joões da cidade reciferida em recifeliz.  Sugerimos
      muito mais: a competência afetuosa de Raul Henry  poderia
      encarregar-se da missão diplomática. Quem sabe convidando o
      inventor J G  para uma especial apresentação no Parque Dona Lindu.
      Com a decisiva legitimação de  Simone Figueiredo.
09. Cláudio Aguiar na Presidência do PEN CLUBE, entidade internacional 
      sediada no R J, reativará o pluralismo cultural entre Olinda e a Baía da
      Guanabara.
10. O resto é mar....  O rosto pelo corpo inteiro da LUZIA de Rinaldo.
      JMB
      Recife/abril/2011
 
Copyright ©2018 GArganTA MAGAlhães Todos os Direitos reservados | Designed by Robson Nascimento