quinta-feira, 20 de setembro de 2012

John Lennon é eleito 'maior ícone musical dos últimos 60 anos'

Redação Central, 18 set (EFE).- O ex-beatle John Lennon foi eleito o 'maior ícone musical dos últimos 60 anos' em uma votação organizada pela prestigiada revista britânica 'New  Musical Express'.
Redação Central, 18 set (EFE).- O ex-beatle John Lennon foi eleito o 'maior ícone musical dos últimos 60 anos' em uma votação organizada pela prestigiada revista britânica 'New Musical Express'.
Segundo a publicação, o resultado da votação - que teve presença maciça de artistas britânicos e americanos - transformou o ídolo de várias gerações no maior mito da música nas últimas seis décadas.
O ex-vocalista do Oasis, Liam Gallagher, ficou em segundo lugar, seguido por David Bowie, Alex Turner (guitarrista dos Arctic Monkey), Kurt Kobain (ex-líder do Nirvana) e Amy Winehouse.
O sétimo lugar ficou com o mítico Jimi Hendrix, seguido por Morrissey (ex-vocalista do The Smiths). O nono artista mais votado foi outro integrante do Oasis, Noel Gallagher, que ficou à frente do saudoso ex-vocalista do Joy Division, Ian Curtis.
Mais de 160 mil pessoas comemorações dos 60 anos da revista, que é referência mundial sobre o meio musical.
Garganta magalhães

domingo, 9 de setembro de 2012

Carnaíba (PE) recebe oficina para a Residências Artísticas em Pontos de Cultura

Visando ampliar o acesso e divulgação do edital Residências Artísticas em Pontos de Cultura a Fundação Nacional das Artes (Funarte) realiza em Carnaíba (interior de Pernambuco) a oficina de capacitação para o edital da Bolsa Interações Estéticas – Residências Artísticas em Pontos de Cultura 2012.  A capacitação acontece no dia 11 de Setembro às 10h, no Prédio da Escola de Música Maestro Israel Gomes (antigo Armazém da rede Ferroviária). A oficina será gratuita e ministrada pelo gestor da Funarte no Nordeste, Reinaldo Freire.
Com apoio da Representação Regional Nordeste do MinC (RRNE/MinC), Fundarpe e da Secretaria de Cultura de Carnaíba/PE a oficina abrange ainda, a Região do Sertão do Alto Pajeú e pretende abordar questões conceituais e práticas sobre o concurso que vai premiar 50 projetos, com R$50 mil cada. Para se inscrever, o interessado deve procurar a servidora Ana Isabel na Secretaria de Cultura de Carnaíba. Nas oficinas, serão abordados conceitos sobre a proposta, condições para inscrição, categorias para apresentação de projetos, além de informações sobre como preencher a ficha de inscrição e modelo de elaboração do projeto.
A Bolsa Interações Estéticas – Residências Artísticas em Pontos de Cultura 2012 é realizada em parceria com a Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura e premiará 50 projetos de residências artísticas em todo o território nacional. O programa visa apoiar projetos por meio do intercâmbio cultural e estético em rede, através da realização de iniciativas de residências que promovam a mobilidade, a experimentação artística e a reflexão crítica. As inscrições para o edital estão abertas até 3 de outubro para todo o Brasil.
Oficinas para Bolsa Interações Estéticas – Carnaíba PE
Data: 11 de Setembro
Horário: 10h
Local: Escola de Música Maestro Israel Gomes Inscrições: Secretaria de Cultura de Carnaíba
Informações: (87) 3854-1156 (Ramal: 205)
Evento gratuito

O CFAV oferece em setembro a oficina “Formação e Crítica no Contexto” com o artista Roberto Traplev

A oficina visa oferecer um panorama crítico sobre a prática artística contemporânea em especial de projetos editoriais, e projetos colaborativos. A partir de textos de artistas e teóricos se discutirá a expansão da atuação e do papel do artista, identificando questões pertinentes para atuar publicamente em diversas frentes.
 
 Neste grupo de ações e iniciativas pretende-se deflagrar um importante passo para uma atuação autônoma e formadora de contextos artísticos ampliando o campo das práticas do meio hoje. Textos de Ricardo Basbaum, Allan Kaprow, Marcel Broodthaers, Andréa Fraser, Helmut Batista, Ronaldo Brito entre outros artistas, críticos e teóricos, serão base para discutirmos ações referentes à atuação e crítica no contexto.
 
 O contexto proposto pela oficina se relaciona não só ao “circuito de arte”, mas ao território em que se circula, se movimenta, se articula, se relaciona ou mesmo se ignora. Como proposta final ao grupo participante, realizaremos algumas ações nos campos que serão abordados durante a oficina entre elas intervenções públicas quer sejam urbanas, rurais, fluviais e ou etc.
 
 O workshop acontece de 24 a 28 de setembro, no período da manhã e é voltado para artistas, professores, alunos, jornalistas, arquitetos, urbanistas, políticos, ativistas, funcionários públicos, geógrafos, filósofos, djs, e interessados em geral nos temas abordados. As inscrições custam R$ 120,00 e têm início no próximo dia 10 de setembro. Para obter maiores informações, é só ligar para o CFAV nos números 33553152 ou 33553153, ou através do e-mail cfav.recife@gmail.com.
 
 Sobre o Ministrante:
Roberto Moreira Junior (Traplev)*
Traplev é o nome que Roberto Moreira Junior utiliza para assinar suas ações no campo das práticas artísticas. Roberto é Bacharel em Artes Plásticas (19992003) e Mestre em Artes Visuais (20052007) pelo Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC, Florianópolis.
Desde 2005 coordena as ações da Traplev Agenciamentos e ou Orçamentos, através da qual organiza seminários, projetos de expedições temporárias, workshops, materiais impressos, curadorias, exposições e projetos colaborativos.
É editor responsável e co-fundador da publicação RECIBO de artes visuais. RECIBO (http://issuu.com/recibo) é a publicação brasileira convidada para a edição especial organizada pelo Museu de Arte Contemporânea de Castilla y León (MUSAC) da Revista Pulgar (Venezuela) que reuniu revistas independentes de arte da América Latina lançada em outubro de 2010 na Espanha.  Como artista foi indicado ao Prêmio PIPA 2010 no Rio de Janeiro. Em 2011 foi contemplado pelo Edital Rede Nacional de Artes Visuais para realizar no ano de 2012 em Belém do Pará o Encontro Impresso (espaço 5) ciclo de discussão organizado em colaboração com outros artistas. Em 2012 é selecionado no 48º Salão de Pernambuco de Artes Plásticas em Recife com uma bolsa durante cinco meses.
 

Inscrições: de 10 a 21 de setembro
Valor: R$ 120,00
É necessária a entrega de currículo no ato da inscrição.
Até 15 participantes
Realização: de 24 a 28 de setembro
Carga Horária: 16 horas, divididas em 5 encontros.
Horário: das 9:30 às 12:30 da manhã
Região de interesse:
Artistas, professores, alunos, jornalistas, arquitetos, urbanistas, políticos, ativistas, funcionários públicos, geógrafos, filósofos, djs, e qualquer interessado.
CFAV - Centro de Formação em Artes Visuais da Fundação de Cultura do Recife
Pátio de São Pedro, casa 11 – Bairro de São José
Fone: 33553152 e 33553153

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Cinco cidades do Nordeste recebem Cia Jovem do Teatro Bolshoi

As cidades de Fortaleza, Natal, Campina Grande, Maceió e Camaçari podem prestigiar até o dia 17 de Setembro, a turnê pelo Nordeste da Cia. Jovem da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. A turnê, que acontece pela segunda vez no Nordeste, teve início no último sábado (01) e tem o patrocínio do Ministério da Cultura (MinC) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Além das apresentações, as cidades de Fortaleza, Natal, Campina Grande e Maceió recebem um workshop com profissionais da Cia. Jovem para bailarinos de dança contemporânea e dança clássica. Em Fortaleza, o workshop aconteceu nos dias 01 e 02 de setembro, em Natal acontece dia 06, em Campina Grande a capacitação será no dia 09 e Camaçari recebe a oficina nos dias 16 e 17 de setembro. A cidade de Natal recebe ainda uma audição para entrada de novos alunos na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil e um ensaio aberto, destinados a rede pública da cidade, no dia 06 de setembro. O ensaio aberto também acontece na cidade de Maceió, nos dias 12 e 13 de setembro.

Nenhum arRECIFE pode ser QUINTAL

Nenhum arRECIFE pode ser QUINTAL.

Algum país deve ser oceano de utopias.
Apesar da inconstância da almacorporal
selvagem e civilizadíssima.
Com todo peso e preço das culturas
em dissipações patrocinadoras.
ABAPURU não ressuscitou por DILMA nem
Glauber por Nelson Motta.
Precariedades.
Por verbal estranhamento, ANTROPOEMIA
poderia ser inevitável contraponto de
uma canonizada antropofagia?
Dúvidas sensatas.
Jogo de palavras dominando o mundo
das citações em deleite acadêmico.
Recitamos Foucault, Deleuze, Negri,
Guattari, Agamben para ainda mais
esquecermos Roberto Machado, Luiz Costa
Lima, Silviano Santiago...
Traições e ou contraDICÇÕES doutorais.
Reler o Manifesto Antropófago de
Oswald de Andrade e repensar ambivalências
da Tropicália e dos hipertropicalismos.
Rasgos de devoração sem a fé devota.
Continuar abismando-se pelas mutações
do sublime ao grotesco,
do nacional-popular ao internacionalismo
para dançar BAAL de Brecht com Reza de
Rita Lee. Sem medo de ser infeliz.
Pela travessia do mais cafona ao metakitsch.
Do Brasil-pandeiro às brasilidades em transe
de câmeras, guitarras, berimbaus e pipocas
TRANSmodernas, atuais e atuantes.
Ao contrário das absorções, deglutições,
reinterpretações, o núcleo diferenciado
da ANTROPOEMIA seria o VÔMITO em devir
transfigurador. Palavras impactantes.
Todos apostando no projétil de
ultrapassar dicotomias e lógicas
binárias in-ter-mi-ná-veis:
Totem/Tabu; Invenção/Mercado;
Singularidades/Coletivos;
Morte do Autor/Renascimento do Leitor,
público-autor-desautorizado e não.
Pensamento Selvagem/Perspectivismo.
Capitalismo devorador/Anarquismo recalcado.
TUDO FOI DOMINADO e ou VOMITADO pelo
Kapital líquido, sólido, gasoso?
Por que retomar  Lévi-Strauss fingindo
ignorar o ecletismo de Roger Bastide?
A NÁUSEA de João Paulo Sartre?
Dentro do cipoal do citacionismo
pós-tudo, a hora e vez de investirmos
na moçada rebelde do PPGARTES/UERJ.
Antes, durante e depois das GREVES,
escuridões e clarividências.
Leões do Norte e Leoas Desnorteadoras
jamais barradas pelas eternas dualidades.
Recife, setembro de 2012
Jomard Muniz de Britto

Branca Dias/ Nova Temporada! 20 de setembro 2012!

A peça "Senhora de Engenho Entre a Cruz e a Torá" depois de um
grande sucesso de público e crítica, volta a cumprir uma nova
temporada no Casarão de Branca Dias, em Camaragibe-PE, de 20 a 30 de
setembro de 2012 (quinta a domingo),ás 19:00h.

O espetáculo aborda a vida de Branca Dias judia portuguesa
pressionada pela inquisição no século XVI. A história desta mulher
inspirou a peça "Senhora de Engenho Entre a Cruz e a Torá", onde se
fala da história de Camaragibe e da questão judaica.

Alguns fatos marcantes no processo da história de Branca Dias, de
Camaragibe e do espetáculo:

Branca Dias, foi a primeira mulher mestre-escola e ao mesmo tempo a
primeira mulher a assumir a administração de um engenho no Brasil.
A peça é montada Casarão/Engenho Camaragibe-PE, onde a Branca Dias
morou com seu marido Diogo Fernandes, e seus 11 filhos.
Ela foi professora das meninas de Pernambuco em pleno século XVI, e
teve dois filhos com necessidades especiais: Manoel Alonso nasceu sem
os dois braços e Brites era deficiente mental, e aprenderam a ler e a
escrever. Manoel Alonso escrevia com o pé.
Podermos também considerar também que Branca Dias foi a primeira
mestre-escola de educação especial.
Casarão de Branca do século XVI, teve sua primeira encenação teatral
no século XXI, com a peça"S enhora de Engenho entre a cruz e a torá.


Bento Teixeira, Brasileiro,judeu,poeta e mestre-escola , foi o
primeiro escritor/poeta a ter o seu livro Prosopopeia impresso no
Brasil. Bento era muito amigo da família de Branca Dias.

O elenco e técnicos são de várias cidades de Pernambuco, tais
como:Camaragibe(em sua maioria), Recife, Olinda, Igarassu e Jaboatão
dos Guararapes.

A encenação utiliza a cruz como forma de marcação cênica , em um
teatro de arena ,onde é realizado um julgamento dos personagens.

È realmente uma história muito emocionante,real e bela!

Ficha Técnica:
Realização: Companhia Popular de Teatro de Camaragibe, e dos
Produtores Associados: juvino Agner, Patricia Assunção e Bernardo
Junior
Encenação e Pesquisa Musical; Emmanuel David D' Lucard
Texto: Mirian Halfim
Assistente da Encenação: Fabiana Karla
Direção de Arte: Lupérci o Kallabar

Consultoria Histórica e Religiosa: Tânia Kaufman
Preparação Corporal e Coreografia: Anderson Henry
Plano de Maquiagem: Cláudia Alves
Execução de Cenário e Adereços: Bernardo Junior
Criação,Pesquisa e Execução de Figurino: Francis de Souza
Designer de luz: Geraldo Cosmo
Operador de Luz: Lu Forcione
Operador de Som : Anderson Abreu
Divulgação: Pedro Dias
Contras-Regras: Edson Rodrigues e Geraldo Cabral
Fotografia: Rejane Lucena
Registro e Edição de Vídeo: Sérgio Gusmão
Designer Gráfico: Emmanuel David D' Lucard e Lupércio Kallabar
Elaboração do Projeto: Lúcio Fábio

No Elenco: Alexsandro Alves, André Ramos, Claúdia Alves, Dul Santos,
Euclides Farias, Fabiana Karla, Francis de Souza, Geraldo Cosmo,
Géssica Nascimento,Guto Kelevra, Isabelly Nataly, Patricia Assunção e
Pedro Dias.

SERVIÇO:
Peça: Senhora de Engenho Entre a Cruz e a Torá
Local: Pátio Externo da Casa Grande do Engenho Camaragibe, Avenida:
Belmino Corrêa, Centro, Camaragibe-PE
Dias/Datas; de 20 a 30 de setembro de 2012 (quinta a domingo)
Horário: 19:00h.
Ingresso: Inteira: R$:20.00, e Meia: R$ 10.00
Censura: Livre
Informações: 81: 9536-4746

Conto com a sua presença e divulgação!

Abraços, Pedro Dias, fone:81:9536-4746

Lulão mágoa e rancor

A opinião de José Nêumanne
>
> Jornalista, escritor e editorialista do Jornal da Tarde
>
> De volta, o Lulão
>
> mágoa e rancor
>
> Em vez de ser discreto, como prometeu, ao sair, amado, do topo do
> poder, o ex-presidente sobe nos palanques para insultar nos microfones
> aliados que não se curvam à total vassalagem que exige
>
> Lula da Silva, o mágico dos palanques, está de volta, com dificuldades
> para emitir a voz por causa de um câncer na laringe, mas sem cerimônia
> alguma e com a animação de sempre. Sua primeira aparição foi em Belo
> Horizonte para tentar obrar o milagre de evitar a derrota tida como
> certa do candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), Patrus Ananias,
> para o prefeito Márcio Lacerda, do Partido Socialista Brasileiro
> (PSB), apoiado pelo Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), do
> ex Aécio Neves e do atual governador de Minas Gerais, Antonio
> Anastasia. Aprovado pela ótima gestão e apoiado por forças politicas
> majoritárias no Estado, o adversário dos petistas é pule de dez.
>
> Mas o Padim Ciço de Caetés não deixaria o retiro de sombra e ar seco
> de São Bernardo do Campo para pregar no deserto nem para jogar pérolas
> para os porcos. E para lá foi em missão evangelizadora e messiânica
> com a voz ferindo a garganta dolorida e pedras na mão. “Aqueles que o
> PT ajudou a chegar ao poder não querem mais ficar com o PT. O PT não
> vai ficar chorando. É importante que eles saibam que não estariam no
> governo se não fôssemos nós”, vituperou exigindo com a própria
> ingratidão a vassalagem alheia.
>
> Com a empáfia que só os arrogantes orgulhosos da própria ignorância
> têm, insultou os eleitores aos quais se dirigia: afinal, foram eles
> que o fizeram presidente, Márcio Lacerda prefeito, Anastasia
> governador, Aécio senador e Dilma sua sucessora para exercerem
> mandatos populares cumpridos em nome da maioria dos eleitores, e não
> da cúpula petista.
>
> O PSB o ajudou nas disputas presidenciais e é aliado de seu PT no mais
> dileto de seus projetos: a tarefa difícil de fazer de seu ex-ministro
> Fernando Haddad prefeito de São Paulo. A mãe do presidente nacional do
> partido, deputada Ana Arraes, pôs sob risco o sobrenome ilustre
> assumindo um voto polêmico no Tribunal de Contas da União (TCU) ao
> considerar lícitos contratos de “publicidade” com o mineiro Marcos
> Valério, que acaba de ser condenado pelo Supremo Tribunal Federal
> (STF).
>
> Lula deixou o semiárido miserável para ganhar o Brasil e o mundo com
> mística de profeta dos pobres e oprimidos. Atingiu a glória e o topo
> do poder do qual saiu com uma generalizada confissão de amor do povo,
> que o consagrou com os mais altos índices de popularidade com que
> raros governantes em segundo mandato sonhariam. Prometeu ser um
> ex-presidente discreto e, ao contrário, não perde ocasião para buscar
> os holofotes e despejar em microfones cobranças e insultos que não
> condizem com sua saga. Tinha tudo para ser Lulinha, paz e amor.
> Preferiu assumir o trágico papel de Lulão, mágoa e rancor!

"Tributo ao Sr. Ulysses Lins".

 Foi brilhante a ideia do lançamento da reedição da trilogia dos livros escritos pelo Dr. Ulysses Lins, é também de suma importância para todos nós do moxotó e toda região, especialmente para Sertânia, pelo fato de nos mostrar os primórdios da tão importante história do nosso município, com acontecimentos de outrora que nos remete à um período do tempo que passou, porém, nos deixando como herança, grandes conhecimentos, seja na área sócio cultural, política e econômica do município. 
           Foi fundamental a vinda deste povo para nossa região, explorando assim as ribeiras do nosso moxotó bravo, oferecendo ainda oportunidades comerciais muito provedoras, de grande expansão, durante muito tempo.  E, esta trilogia nos dar a oportunidade de conhecer  cada vez mais a história de um povo que nos deixou um legado que devemos por obrigação, repassa-lo de geração para geração, pois, a história passada de um povo, de um município, jamais, poderá ser esquecida, e, devemos aproveitar quando temos a oportunidade de estarmos frente a frente com pessoas daquela época, como as sábias celebridades que compuseram aquela mesa agora, dia 11/08/12, lá no Mandacaru Clube, das quais, destaco com muita honra e com todo respeito, a ilustríssima, jovem senhora, escritora, Dona Therezinha Lins de Albuquerque, que na sua simplicidade nos presenteou de conhecimentos, de grandes ensinamentos herdados de um tempo em que não se tinha as oportunidades do hoje, e com um esmero senso de sabedoria sem igual, nos relatou fatos com riquezas de detalhes daquele tempo que, nos impressionaram, deixando em todos uma satisfação imensa diante de relatos tão valorosos relacionados a nossa história.
           E, como foi também, tão expressivo esta senhora com seus (86), anos, fazendo referência à pessoa do Dr. Ulysses Lins, (in memoriam), o tratando de papai, de meu pai, numa total demonstração de quanto respeito tinha por ele, de quanto era sua alegria por ter absolvido seus ensinamentos, por ter ainda se comprometido em levar adiante o legado de um pai, de uma herança que jamais, deverá ser esquecida, de uma história sertaneja que deveria por obrigação estar incutida, fazendo parte do curriculum educacional das escolas municipais e estaduais da nossa região, através desta trilogia que ora nos foi apresentada.
            Trata-se de fato, de um material que inclui imensa cultura regional, muitas histórias interessantes que nossos pais e tios mais velhos, nos contavam, sendo neste, utilizada uma literatura vasta em conhecimentos e até muito cômica em algumas passagens, que de certa forma, salutar, seria para aquela época, e por que não dizer para a nossa também, pois, é uma oportunidade sem igual que teremos para vivenciar nosso passado, a riqueza dos nossos valores, o brio e a coragem de um povo ordeiro, onde o respeito ainda era dito como palavra de ordem.
             E, para finalizar este artigo, expresso minha opinião, meu pensamento, dizendo o seguinte:   "Uma história quando é valiosa, deve ser moída e remoída para que todos, aprendam a essência de seu valor".
             Em agradecimento a essa ilustre família, Lins de Albuquerque, que tanto contribuiu para esta história, faço uma homenagem a todos, através deste acróstico.

Um acadêmico.
Literário e poético.
Inteligente e intelectual.
Soberano.
Sertanejo.
Escritor.
Sertaniense.

                                     Lucilio Rufino de Siqueira.

                                     Sertaniense, com muita honra!!!

Numéro de Visitas

Seguidores

TEMPO

GArganTA MAGAlhães | Template by - Abdul Munir - 2008 - layout4all